Entrevista com Valesca Veiga, idealizadora e editora da revista o fermento

Imagem de capa: Valesca Veiga.

Meios de Financiamento & Conteúdo

Uma coisa muito complicada é que nós não temos patrocínio ainda. Então, como eu falei anteriormente, o meu objetivo era, a partir de 2019, já com um conteúdo relevante, com uma massa crítica, com aquelas métricas já definidas que o site me dá, que a rede social me dá, poder apresentar esse projeto para um patrocinador. São poucos editais que comportam publicações. Estamos pesquisando outros editais de fomento. Isso tudo demanda investimento. Então, fica tudo bem limitado, porque você não tem também um volume de colaboração que precisaria. E como é que você vai ter essas publicações diárias? Todos nós trabalhamos com o fermento, mas temos outras atividades. Então, acaba que o projeto ficou operando dentro de um universo muito utópico, sabe? Materialmente muito pouco viável.

Trecho do feed do Instagram da revista o fermento.

Talitha Motter Tu deve ter visto ali no material que eu enviei, eu também trabalho com uma revista e eu sei exatamente dessas dificuldades. Porque, na verdade, o digital nos permite criar, nos permite estar ali e criar um espaço para publicar textos. Essa coisa do digital permite congregar pessoas com interesses parecidos com os da gente, com ideias para a revista crescer, e a revista cresce, ela germina, que nem o fermento. Só eu acho que as revistas de arte independentes e digitais no Brasil ainda estão, pelos depoimentos também de outras pessoas, tentando achar um meio de se financiar. É difícil mesmo, eu também não tenho a resposta. Até hoje a gente também não conseguiu. A gente fez alguns eventos, mas que não necessariamente pagaram a revista. Ela tem sobrevivido no amor e na vontade.

Valesca Veiga Exatamente, é no amor e na vontade.

Talitha Motter Eu acho que é uma energia de conexão, uma energia muito assim de querer ter esse espaço e ver a coisa girando, sabe? Então, eu entendo plenamente o que tu coloca. É muito difícil esse embate, mas eu acho que talvez a gente consiga encontrar alguma maneira. Eu não sei se tu poderia contar um pouco sobre as exposições de São Paulo.

Valesca Veiga O fermento como eu idealizei a princípio só falaria de exposições no Rio de Janeiro. Depois, a gente acabou expandido para São Paulo, porque tinha a facilidade de alguns colaboradores, às vezes, estarem em São Paulo por outros trabalhos. E também passei a viajar para São Paulo mensalmente ou bimensalmente, ver o que estava acontecendo. E comecei a pensar em desenvolver colaboradores em São Paulo, uma coisa que não é difícil de fazer. Só que tinha dúvidas sobre essa questão de falta de patrocínio, com colaboradores que não estavam desde o início e que iam ter que… criar essa condição de trabalhar por amor a um projeto e escrever sem pretensões financeiras. Tinha a ideia de expandir também para as regiões Norte e Nordeste. Alguém que estivesse em algum estado do Nordeste, em Recife ou Fortaleza, talvez, onde há algumas coisas muito interessantes acontecendo. No Norte, em Belém. Ter alguém que pudesse também trazer uma ótica fora do eixo Rio-São Paulo-Belo Horizonte. Então, eu já tinha os planos traçados para um movimento de expansão, com a construção de uma cadeia de colaboradores de outros estados, e veio a pandemia.

Tem uma discussão muito grande na crítica atual, que é uma discussão do meio cultural brasileiro sobre a necessidade de descentralização do eixo Rio-São Paulo. Você vê que os próprios editais, o Rumos, por exemplo, vem priorizando projetos de fora do eixo Rio-São Paulo. Eu penso, se nosso projeto continuar, que ele pode se expandir para outros olhares fora da concentração no Sudeste. Dar conta dessa pluralidade da arte contemporânea brasileira, porque você tem trabalhos incríveis em muitos lugares e é preciso abrir espaço para essa produção.

Rio de Janeiro — Montréal, 7 sept. 2021.



Citar este post
Talitha Motter (2021, 8 Novembro). Entrevista com Valesca Veiga, idealizadora e editora da revista o fermento. Réseaux Sensibles. Recuperado em 26 de Maio de 2024, de https://doi.org/10.58079/tnsi

Um comentário em “Entrevista com Valesca Veiga, idealizadora e editora da revista o fermento”

  1. Ótima entrevista ! Valesca Veiga falando com propriedade sobre as artes, nos mostra que é possível o público leigo no assunto ter interesse pelas galerias e exposições. Ponto pra ela e para a revista que mostrou não ter pretensões pesadas sobre as artes . Um toque de leveza cai bem. PARABÉNS!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search