Entrevista com o cofundador da Performatus Tales Frey

Imagem de capa: Tales Frey, foto de Paulo Aureliano da Mata.

História & Organização

Você poderia me contar como foi o processo de criação da eRevista Performatus?

Tales Frey Em 2012, juntamente com o Paulo Aureliano da Mata, pensei em concretizar a revista por uma série de questões e, então, no mesmo ano, fundamos a Performatus. A primeira motivação foi a de desfazer a lacuna existente de revistas especializadas em performance em língua portuguesa.  A outra motivação foi a de criar uma revista mais inclusiva, mais democrática, e que exigisse um conteúdo mais direto, mais objetivo, e que não necessariamente fosse um conteúdo aprisionado às normas de textos acadêmicos com formatações rígidas. Apostamos nas escritas feitas por artistas também e, assim, aceitamos textos mais poéticos ou que sejam relatos de processos de criação também e não apenas artigos elaborados por pessoas do campo da teoria. Inclusive, publicamos ensaios visuais. 

No início, tínhamos muitas(os) artistas e teóricas(os) que colaboravam na Revista, dentre eles, Vanja Poty, Raphael Fonseca, Nathália Mello, Renan Marcondes, Priscilla Davanzo, entre outras(os). 

Como se deu o seu interesse em criar uma revista?

Tales Frey Como artista, tenho a performance como principal meio de expressão artística e, ainda que eu crie obras amparadas por outras expressões, a performatividade está sempre presente em todas (ou quase todas) as minhas criações. No caso do Paulo, a performatividade também é um assunto central nas suas criações. Nós sempre relacionamos toda e qualquer expressão artística nossa com teorias que estudamos, com políticas com as quais nos identificamos, com nossos contextos, com os artistas e teóricos nos quais nos reconhecemos completamente ou em alguma parte, etc. Assim, a revista acabou por ser uma forma de reunirmos os nossos interesses para partilharmos com outras pessoas, o que acaba por estabelecer uma plataforma com uma rede ampla de relações, onde artistas de áreas afins acabam por se encontrar.

Você poderia me contar um pouco de quem participa atualmente da equipe da revista? O grupo de colaboradores se modificou durante a história da revista? Se sim, como os novos colaboradores ingressaram na equipe?

Tales Frey Hoje, a revista é gerida por mim e pelo Paulo. Outras pessoas colaboram, mas não de modo forçoso, fixo. A revista começou sendo bimestral, depois passou a ser trimestral, depois semestral e, finalmente, anual. Isso aconteceu porque vivemos do nosso trabalho artístico e, felizmente, fomos gradativamente tendo mais aceitações em instituições e, com isso, gradativamente tivemos que acelerar e ampliar a produção prática e reduzirmos a teórica. Essa diminuição da produção teórica foi justamente para mantermos a mesma qualidade da revista, pois percebemos que precisaríamos de mais tempo para a elaboração de cada edição já que tínhamos muitos textos para conferir sempre e outros para produzirmos. 

Página Quem Somos, que apresenta os criadores e colaboradores da Performatus. Na foto, o também cofundador da revista Paulo Aureliano da Mata.

O que o nome da revista Performatus quer dizer para você?

Tales Frey Vem da raiz etimológica da palavra “performance”. Do latim, temos o termo “formare”, que quer dizer “dar forma” e “performatus” que quer dizer “acabado de formar” e, assim, percebemos uma origem comum nesses termos, mas “performatus” foi o que julgamos mais abrangente e que acaba por abordar as ideias frescas, novas, formadas no instante em que acessamos.

Como é organizado o trabalho de edição da Performatus, quais são as atividades de cada membro da equipe e que atividades você realiza na revista?

Tales Frey Recebemos propostas diversas e também convidamos pessoas, pedimos autorizações para traduções, para cederem imagens, etc. Somos sempre éticos com as(os) autoras(es). Contratamos tradutores(as) e pessoas para revisarem textos. 

Vocês possuem um lugar onde possam trabalhar juntos? Ou o trabalho de edição é realizado a distância? Se sim, como é para você trabalhar a distância?

Tales Frey Eu e o Paulo trabalhamos no mesmo lugar. Vivemos juntos e a nossa própria casa é nosso ateliê e sede da revista. As colaborações vêm de diversas partes do mundo e nós lidamos muito bem com os dispositivos tecnológicos que permitem a nossa comunicação com todas as pessoas envolvidas. 

Quais são as dificuldades normalmente encontradas no cotidiano de edição da revista Performatus?

Tales Frey Conseguir financiamento é sem dúvida a maior dificuldade.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.